Segundo o livro “Reality is Broken: Why Games Make Us Better and How They Can Change the World” – A realidade está quebrada: Por que jogos nos tornam melhores e como eles podem mudar o mundo, da game designer Jane McGonigal, os jogos podem ser usados para um mundo melhor sim!

De acordo com o estudo sobre jogos de videogame e comportamento humano, realizado por Jane, ela defende a seguinte ideologia: a de que os games atraem cada vez mais pessoas porque fazem um trabalho melhor do que a realidade para atender aos verdadeiros desejos da humanidade. Será?

Ela chegou nessa conclusão devido a um acidente que ela sofre em 2010, que a deixou com uma concussão cerebral. O acidente fez com que ela tivesse dificuldades na concentração, e ela resolveu esse problema buscando nos games a motivação para se supercar e se restabelecer.

A Jane é game designer. O game designer é responsável por projetar e criar jogos, ou seja responsável pela concepção, criação e coordenação de todo o jogo.  E de uma forma bem prática ela resolveu o problema dela. Ela criou um game chamado SuperBetter, um jogo social de autoajuda em que os vilões são obstaculos encontrados pela jogador em sua vida real. O game possui uma dinâminca em que completando os objetivos ganha-se pontos de quarto categorias: Física, Mental, Social e Emocional.

Ficou interessado? Dá uma olhadinha aqui no SuperBetter.

Jane não é a única a acreditar que jogos podem salvar o mundo. Vários especialistas afirmam que várias características presentes nos games são de bastante utilidade no universo dos negócios, como por exemplo, engajamento e satisfação.

Dessa forma podemos enxergar como funciona os “Serius Games”.  Fazer jogos com uma perspectiva em especial, mas, sem perder a diversão. Ou seja, podemos aplicar os conceitos de gameficação, processo usado como estratégia de mudança de comportamento em setores da educação, da saúde e, inclusive, em empresas. Tema que iremos conhecer nos próximos posts. Aguardem!

Ficou curioso para conhecer um pouco mais sobre essa grande game designer e evangelista do conceito de gameficação? Convido vocês a tirarem 20 minutos do seu tempo para vislumbrar as ideias e experimencias da Jane, nesse video gravado durante a conferência do TED.

Vamos lá gente… vamos tornar fácil salvar o mundo na vida real… como salvamos o mundo inúmeras vezes durante os games.

“”Se quisermos solucionar problemas como a fome, pobreza, mudanças climáticas, conflitos globais, obesidade, temos que aspirar a jogar jogos online por pelo menos 21 bilhões de horas por semana até o fim da próxima década!” – Jane McGnonigal

Games podem mudar o mundo?
facebooktwitterby feather
The following two tabs change content below.

Tainá Medeiros

Fundadora do Meninas Também Jogam! * Mestre em Sistemas e Computação * Professora do IFRN - Campus Natal Central

7 opiniões sobre “Games podem mudar o mundo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *